Imobiliária em São Paulo
Atendimento (11) 96587-7211

Notícias do mercado imobiliário

IGP-M sobe apenas 0,02% em novembro de 2021

Indicador acumula 17,89% em 12 meses. Veja como fica a situação do reajuste de aluguel e saiba como inquilinos e proprietários podem negociar os valores.  O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) de novembro de 2021 – mês de referência – teve alta de 0,02%, de acordo com dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas no dia 29/11, contra alta de 0,64% registrada no mês anterior. Com esse resultado, o IGP-M acumulado é de 16,77% no ano e de 17,89% nos últimos 12 meses. A título de comparação, em novembro de 2020, o índice havia subido 3,28% e acumulava alta de 24,52% em 12 meses.

Saiba tudo sobre o IGP-M por aqui. Clique nos links abaixo para acessar diretamente a informação que você precisa:

Mês de referência: Novembro de 2021

O Índice de Preços ao Produtor Amplo Mercado (IPA-M) teve queda de 0,29%, após subir 0,53% em outubro. O Índice de Preços ao Consumidor Mercado (IPC-M) variou 0,93%, após subir 1,05% na aferição do mês anterior. E o Índice Nacional de Custo da Construção Mercado (INCC-M) teve alta de 0,71%, contra 0,80% de outubro. Veja mais abaixo como esses três índices compõem o cálculo do IGP-M.

“Apesar dos aumentos registrados para Diesel (6,61% para 9,96%) e gasolina (2,79% para 10,17%) na refinaria, as quedas nos preços de grandes commodities – com destaque para minério de ferro (-8,47% para -15,15%), soja (-0,18% para -2,85%) e milho (-4,52% para -5,00%) – favoreceram a manutenção da inflação ao produtor em terreno negativo”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

O que é o IGP-M?

O índice é o principal indexador de tarifas de serviços como, por exemplo, internet, energia elétrica, TV por assinatura, planos de saúde, mensalidades escolares. E, em especial, na correção anual dos contratos de aluguéis residenciais. Tanto que, pelo seu uso no mercado imobiliário, o indicador ficou conhecido como “Inflação do aluguel”.

O IGP-M sofre influência considerável, por exemplo, das oscilações do dólar e de outros indicadores. Ou seja, varia de acordo com o momento econômico.

Fundação Getúlio Vargas

O IGP-M é aferido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE) e apura informações sobre a variação de preços do dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês de coleta, ou mês de referência.

Calendário do IGP-M 2021

Confira as datas de divulgação do IGP-M pela Fundação Getúlio Vargas a cada mês do ano de 2021.

  • Janeiro: dia 28 ✅
  • Fevereiro: dia 25 ✅
  • Março: dia 30 ✅
  • Abril: dia 29 ✅
  • Maio: dia 28 ✅
  • Junho: dia 29 ✅
  • Julho: dia 29 ✅
  • Agosto: dia 30 ✅
  • Setembro: dia 29 ✅
  • Outubro: dia 28 ✅
  • Novembro: dia 29 ✅
  • Dezembro: dia 29

IGP-M: composição. Como é feito o cálculo do índice?

Divulgado no final de cada mês de referência, o IGP-M é utilizado para preservar as condições da locação diante das mudanças da economia, como a inflação ou deflação.

Ele é calculado mensalmente e divulgado pela FGV no final de cada mês referência. Mas você sabe como o IGP-M é calculado?

O indicador é composto por outros três índices. Saiba aqui quais são e os pesos de cada um deles:

IPA-M (60%)

Sigla para Índice de Preços ao Produtor Amplo Mercado, compõe 60% do IGP-M. Criado em 1947, o indicador é medido entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. Divulgado pela FGV, o IPA-M representa os preços de produtos industriais e agrícolas, vendidos entre empresas, ou seja, antes de chegarem no varejo. São avaliados mais de 400 produtos em 18 estados brasileiros, incluindo as principais regiões metropolitanas, como:

  • São Paulo;
  • Minas Gerais;
  • Rio de Janeiro;
  • Bahia;
  • Pará;
  • Pernambuco;
  • Rio Grande do Sul.
IPC-M (30%)

O Índice de Preços ao Consumidor Mercado corresponde à inflação no varejo e compõe 30% do IGP-M. Também medido pela FGV, o indicador aponta a variação de preços de um conjunto fixo de bens e serviços componentes de despesas habituais de famílias com renda situado entre 1 e 33 salários mínimos mensais. A pesquisa de preços acontece diariamente em sete das principais capitais do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília. E cobre os seguintes setores:

  • Alimentação;
  • Habitação;
  • Vestuário;
  • Saúde e Cuidados Pessoais;
  • Educação;
  • Leitura e Recreação;
  • Transportes;
  • Despesas Diversas;
  • Comunicação.
INCC-M (10%)

Trata-se do Índice Nacional de Custo da Construção Mercado, que afere os custos do setor de construções habitacionais e compõe 10% do IGP-M. A pesquisa, também da FGV, é feita sempre entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência e abrange Recife, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, e Porto Alegre. E contempla as seguintes áreas:

  • Materiais e equipamentos;
  • Serviços;
  • Mão-de-obra.

    Variações dos principais indexadores econômicos nos últimos 12 meses

    IGP-MIPCAIPA-MIPC-MINCC-M
    DEZ/200.96%1.35%0.90%1.21%0.88%
    JAN/212.58%0.25%3.38%0.41%0.93%
    FEV/212.53%0.86%3.28%0.35%1.07%
    MAR/212.94%0.93%3.56%0.98%2.00%
    ABR/211.51%0.31%1.84%0.44%0.95%
    MAI/214.10%0.83%5.23%0.61%1.80%
    JUN/210.60%0.53%0.42%0.57%2.30%
    JUL/210.78%0.96%0.71%0.83%1.24%
    AGO/210.66%0.87%0.66%0.75%0.56%
    SET/21-0.64%1.16%-1.21%1.19%0.56%
    OUT/210.64%1.25%0.53%1.05%0.80%
    NOV/210.02%0.29%0.93%0.71%

    Qual índice é usado no reajuste de aluguel?

    Justamente por conta da grande alta do IGP-M iniciada em meados de 2020, no final de novembro do ano passado o QuintoAndar anunciou ao mercado uma grande novidade. Os novos contratos firmados pela plataforma com propostas enviadas a partir de 26/11/2020 passam a ter o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) como referência para o reajuste de aluguel.

    O IGP-M, no entanto, segue valendo para os contratos firmados com propostas feitas até 25/11/2020. E o percentual anunciado pela FGV, de 21,73% no acumulado dos últimos 12 meses, será o índice usado pelo QuintoAndar no reajuste do aluguel nos contratos que fazem aniversário em dezembro de 2021 (veja aqui como funcionam os contratos no QuintoAndar), caso o proprietário do imóvel não aceite reajustar pelo IPCA ou algum outro valor de comum acordo com o inquilino.

    Com o contexto econômico atual e a forte alta do IGP-M, além de adotar o IPCA em novos contratos, o QuintoAndar tem atuado para facilitar a negociação de reajuste entre inquilinos e proprietários. A imobiliária digital tem entrado em contato com os donos de imóveis sugerindo a aplicação proativa de taxas menores na correção dos aluguéis. Mas a decisão é inteiramente dos proprietários.

    Cálculo do reajuste de aluguel

    Não sabe como fazer o cálculo de reajuste do aluguel? Não tem problema! A gente faz pra você, em nossa calculadora do IGP-M, assim você nem precisa saber como funciona a conta.

    Bom, para você entender, iremos explicar o cálculo do reajuste. Por exemplo: com o IGP-M de 2021 acumulado dos últimos doze meses fixado em 17,89% em novembro, para atualizar um aluguel de R$ 1.500,00 com vencimento em dezembro de 2021, realiza-se a multiplicação do valor por 1,1789 (R$ 1.500,00 X 1,1789). O resultado: R$ 1.768,35. Portanto, este passa a ser o valor que vai vigorar mensalmente até o próximo reajuste de aluguel, daqui a 12 meses, caso o proprietário não aceite reajustá-lo de outra forma.

    Também é possível fazer o calculo de forma automatizado através da calculadora.

    No QuintoAndar, caso o seu contrato tenha começado no início do mês, o reajuste de aluguel é completo. No entanto, se o aniversário for na segunda quinzena do mês, por exemplo, você paga o reajuste de forma proporcional no primeiro mês. E nos próximos meses o valor passa a ser integral.

    IGP-M: novembro de 2021

    Os contratos que fazem aniversário em dezembro de 2021 terão reajuste de 17,89%.

  
07/12/2021 Fonte: 5andar

Últimas notícias