Imobiliária em São Paulo
Atendimento (11) 96587-7211

Notícias do mercado imobiliário

57% dos brasileiros que pretendem se mudar querem comprar um imóvel.

Pesquisa inédita realizada em parceria com o Instituto Datafolha, trouxe recentemente dados sobre os hábitos da casa e também sobre os anseios de mudança dos brasileiros. Agora, com uma lupa apontada para a parte financeira da moradia, o levantamento mostra que 57% dos entrevistados que pretendem mudar de casa nos próximos dois anos querem comprar um imóvel, mas apenas 45% afirmam possuir um planejamento financeiro para realizar essa conquista. 

Segundo o estudo, sair do aluguel e realizar um sonho são os principais motivos citados por 80% dos que buscam adquirir um imóvel.

“As   despesas costumam aumentar quando você deixa de ser inquilino e vira proprietário, com a manutenção do imóvel. Por isso, é preciso fazer uma reserva para gastos inesperados   e   não   deixar   tudo   na   transação.   Na   casa   nova,   talvez   sejam necessárias algumas melhorias. O ideal é até fazer um ‘test-drive’ alguns meses antes de comprar para ver a capacidade de arcar com todas as despesas (valor da parcela de um eventual financiamento, condomínio, IPTU)”, afirma Jonas Marchetti, diretor de Crédito do QuintoAndar.

Desejos de compra por região

Nas três principais Regiões Metropolitanas do Sudeste, apenas Belo Horizonte ficou um pouco abaixo da média geral do Brasil entre as pessoas que pretendem comprar imóvel nos próximos dois anos, com 56%. Rio de Janeiro (58%) e São Paulo (60%) aparecem um pouco acima.

Classes mais altas compram mais

Esse percentual do desejo de compra aumenta entre as classes mais privilegiadas. Segundo o estudo, 67% dos entrevistados da classe A pretendem comprar um imóvel, enquanto 61% da classe B apontaram ter os mesmos planos. 

Motivo para não comprar

Ao mesmo tempo, 70% dos entrevistados apontaram a falta de recursos como o principal motivo para o adiamento deste sonho.

Planejamento financeiro

A pesquisa aponta que os homens são os mais preparados financeiramente para a compra de um imóvel (52%), à frente das mulheres (40%). Além disso, entre os entrevistados que pretendem comprar, 58% daqueles que estão nas classes A e B e 52% das pessoas sem filhos declararam possuir um planejamento financeiro.

Por região

Entre os preparados financeiramente estão 51% dos moradores das regiões metropolitanas. Já em cidades do interior esse indicativo cai para 40%.

Em São Paulo, 51% revelaram ter planejamento financeiro. Belo Horizonte e Rio de Janeiro tiveram o mesmo percentual: 46%.

Como comprar e pagar um imóvel? Formas de pagamento

Dentro do tema do planejamento financeiro, o Censo QuintoAndar de Moradia também quis saber dos entrevistados sobre as formas de pagamento na compra de um imóvel e quais são as garantias que pretendem usar no caso de aluguel de um novo lar. 

Para aqueles que pretendem comprar um imóvel, fazer um financiamento é a principal saída escolhida (52%), à frente de pagar à vista (25%) e de pedir ajuda financeira a familiares e fazer um consórcio (ambos com 9%). 

“A dica é sempre levar em conta o custo efetivo total. Ou seja, analisar a forma de correção das parcelas, o custo do seguro. É preciso fazer contas. Se a pessoa não estiver segura com todos os cálculos para fazer um financiamento, o ideal é procurar ajuda, conversar com amigos, pesquisar mais”, afirma o diretor de Crédito do QuintoAndar.

Financiamento

Segundo o estudo, o peso do financiamento, em média no Brasil, é de 27% da renda familiar, com maior impacto no Norte (39%) e menor no Nordeste (19%).
Na região Sudeste, o impacto do financiamento imobiliário para quem escolhe essa forma de pagamento na compra de um imóvel, em média, é de 28%. Com a seguinte distribuição entre as três principais Regiões Metropolitanas:

Rio de Janeiro (34%), Belo Horizonte (31%) e São Paulo (25%)
Média do valor das parcelas

O valor médio das parcelas de financiamento imobiliário no Brasil, de acordo com os entrevistados no Censo QuintoAndar de Moradia, é de R$ 715 mensais. 

Entre as regiões brasileiras, o Sudeste tem o valor médio mais caro de prestação (R$ 867), seguido do Norte (R$ 802) e do Sul (R$ 770). Com valores bem mais baixos, aparecem na sequência o Nordeste (R$ 462) e o Centro-Oeste (R$ 458). 

Sendo que esses valores aumentam quando uma lupa é colocada nas duas maiores Regiões Metropolitanas do Brasil: São Paulo e Rio de Janeiro.

Os valores em média, do mais alto para o menor, são:

RegiãoValor médio das parcelas
Região Metropolitana de São PauloR$ 1.206
Região Metropolitana do Rio de JaneiroR$ 1.111
Baixada SantistaR$ 1.108
SudesteR$ 867
Região Metropolitana de BHR$ 827
NorteR$ 802
SulR$ 770
Ribeirão PretoR$ 638
NordesteR$ 462
Centro-oesteR$ 458

Financiamento

  • Bancos – 52%
  • Programa “Casa Verde e Amarela” – 26% 
  • Construtora/incorporadora – 19%

Como alugar um imóvel? Garantia e pagamento

Segundo o estudo, 28% dos entrevistados que pretendem se mudar devem alugar um imóvel. Para esse modelo de contrato, as principais formas de garantia que as pessoas pretendem usar são:

  • Depósito caução – 57%
  • Fiador – 15%
  • Análise de crédito – 7%
  • Seguro-fiança – 7% 

    Principais garantias usadas para alugar um imóvel por região

    RegiãoDepósito cauçãoFiadorAnálise de CréditoSeguro-Fiança
    Sudeste60%16%10%5%
    Sul44%23%6%14%
    Nordeste52%16%9%7%
    Norte/Centro-Oeste71%3%
    R.M. de SP68%8%11%8%
    R.M. de BH41%33%13%5%
    R.M. do RJ58%11%12%7%

    Impacto do aluguel na renda

    O peso de uma locação de imóvel na renda mensal familiar do brasileiro é, em média, de 31%. Na Região Sudeste o percentual é maior: 34%, enquanto no Sul é de 33%. Nas outras três regiões do Brasil, esse peso está abaixo da média, com 30% no Centro-Oeste, 29% no Norte e 27% no Nordeste. 

    Nas três principais Regiões Metropolitanas do Brasil, São Paulo apresenta o maior peso do valor de aluguel na renda familiar, com 38%, seguido de Rio de Janeiro (34%) e Belo Horizonte (31%).

    Valor médio do aluguel

    Já o valor médio pago, segundo declararam os entrevistados do Censo QuintoAndar de Moradia, é de R$ 686 no país. 

    A região com o aluguel mais caro é a Sudeste (R$ 824), à frente da Sul (R$ 791), do Centro-Oeste (R$ 640), do Nordeste (R$ 579) e da Norte (R$ 400).

    Os valores do aluguel, em média, do mais alto para o menor, são:

    RegiãoValor médio das parcelas
    Região Metropolitana de São PauloR$ 1.078
    Baixada SantistaR$ 951
    Região Metropolitana de BHR$ 876
    Ribeirão PretoR$ 851
    Região Metropolitana do Rio de JaneiroR$ 834
    SudesteR$ 824
    SulR$ 791
    Centro-oesteR$ 640
    NorteR$ 579
    NordesteR$ 400




09/06/2022

Últimas notícias