Imobiliária em São Paulo
Atendimento (11) 96587-7211

Notícias do mercado imobiliário

Redução dos juros anunciada pela Caixa diminui valor da parcela e torna sonho da casa própria mais a

Para o especialista em moradia popular, Bruno Guedes, com os
juros em queda, o valor das parcelas também diminui, ficando mais
vantajoso financiar do que continuar pagando aluguel – sonho da casa própria

A Caixa Econômica Federal (CEF) reduziu as taxas de juros do crédito
imobiliário em até 0,5 ponto percentual. Agora, os juros do
financiamento passam a variar entre 6,25% e 8% mais Taxa Referencial
(TR) ao ano, dependendo do perfil do cliente. A medida deve facilitar o
acesso ao sonho da casa própria, já que o financiamento tende a ficar
mais barato, estimulando ainda mais o mercado imobiliário, que
manteve-se em alta mesmo diante da crise agravada pela pandemia.

“A
redução de 0,5% pode ser a diferença entre conseguir ou não o
financiamento tão desejado. Como a pirâmide aumenta exponencialmente
para baixo, isto deve pegar muitas pessoas que estavam à margem da
possibilidade de financiamento”, disse Bruno Guedes,  executivo que atua
há mais de 20 anos no mercado de construção civil com foco em
habitações populares. Guedes é um dos sócios da startup SONHOCASA,
empresa criada há um ano para aproximar de forma ágil pessoas que querem
deixar de pagar aluguel e as construtoras, usando a tecnologia.

Na
avaliação do especialista, a redução das taxas de juros deve aumentar
as oportunidades nas construtoras e o financiamento pode ajudar famílias
de todas as faixas de renda que sonham em ter a casa própria. Só para
se ter uma ideia, o déficit de moradia em São Paulo é de 1,8 milhão de
domicílios, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Além disso,
com os juros em queda, o valor das prestações também deve diminuir.
Logo, o financiamento torna-se mais vantajoso do que pagar aluguel, pois
o valor da locação sofre reajustes, seguindo os índices de inflação.
“Qualquer redução de taxa de juros em financiamentos de longo prazo
ajuda na redução imediata da parcela, no caso do Programa de Governo em
transição para Casa Verde e Amarela. Isto quer dizer alívio na vida
mensal do adquirente, que vai ter esse compromisso por até 30 anos”,
comenta o especialista.

Outra medida anunciada pelo banco foi a
substituição da pausa no financiamento pela opção de pagar apenas uma
parte da prestação da casa própria. Com isso, os clientes poderão pagar
50% da mensalidade por três meses, ou de 50% a 75% do valor mensal por
até seis meses.
17/11/2020

Últimas notícias